Dia-a-dia, semana-a-semana, a evolução, o crescer, o antes e o depois, as imagens, os avanços e os tropeções...
Sábado, 06 de Junho de 2009

A rúcula e a chicória, parecem muito apertadinhas... Mais um daqueles casos em que as sementes foram lançadas indiscriminadamente, sem ter a noção de que ao crescer, as plantas precisam de espaço... Vai daí, a menina da cidade resolve pôr as mão na terra e toca de arrancar junça, e ao mesmo tempo tentar aligeirar um pouco os talhos reservados a ambas as verduras. Na rúcula não fiz grande coisa além de limpar os verdes e retirar um belo pedaço do que quer que lá estivesse em conjunto com a rúcula que, pobrezinha, estava raquítica e possuída pelas ervas más.

 

 

Já na chicória, o caso foi diferente. Não sei se por maior paciência se por maior facilidade, limpei o canteiro e colhi uns pés a pensar no almoço, cuja hora se aproximava...

 

 

 

Os ingredientes:

  • Chicória acabada de apanhar
  • Alfaces
  • Cenoura
  • Espargos Brancos
  • Atum com cebola e coentros acabados de apanhar

 

 

O Tempero: Pesto feito com azeite e vinagre balsâmico, frutos secos (amendoim, pinhão e nozes), e coentros e hortelã acabados de colher...

 

 

Para acompanhar: Evel Reserva 2003 Tinto, e uma bela tarde de sol na varando, com a cadeira de baloiço a convidar...

 

 

Este fim-de-semana, o amigo sol não está tão simpático e acolhedor... mas outras oportunidades surgirão concerteza!!!

publicado por Menina da Cidade às 11:02
Hoje é dia de:

Sexta-feira, 05 de Junho de 2009

No Dia Mundial do Ambiente, há que reconhecer a urgência de cuidar da nossa CASA.

 

Muito se poderia dizer, escrever, ler, talvez até defender, discurssar, argumentar, discutir... mas como sou apologista de que as mensagens curtas são aquelas que maior impacto causam e mais efeito surtem...

 

"In fifty years, in a single lifetime, the Earth has been more radically changed than by all previous generations of Humanity"

 

Quero acreditar que um dia destes, a Humanidade vai fazer juz ao que diz ser o animal racional e perceber que com empenho determinação e acções concertadas e nada hipócritas ou marcadas pelo tal doi nteresse pessoal e/ou nacional, ainda vamos a tempo... Quando recordo a minha formação em Relações Internacionais e os conceitos de soberania, interesse nacional, balança de poder... Tudo isto me faz sorrir e pensar que na base de tudo isto está apenas algo que não é de ninguém, e muito menos é eterno... Mais do que cuidar das fronteiras, chegou o tempo de cuidar do que temos debaixo dos pés e acima da cabeça... para lá da minha redoma e do meu espaço de conforto, há algo deveras frágil que precisa da minha inteligência racional e emocional... Por detrás do meu conforto imediato está a base de tudo. A emoção que provém da beleza de determinadas imagens é indescritível, pelo que apenas posso recomendar um serão de família, com um filme... diferente...

 

 

publicado por Menina da Cidade às 23:40

Domingo, 17 de Maio de 2009

... ao cabo de 4 semanas, ou praticamente 1 mês, eis que se apresenta o estado actual do meu canteiro.   

 

 

As alfaces começam a ser dignas do nome:

  

 

 

O manjericão ganhou em diversidade, e os coentros crescem com uma pujança inesperada

 

 

 

A Chicória continua sem grande força, mas lá está... Não sei se se aguentará ou sequer se continuará a crescer, mas tempo, neste canteiro, é coisa que não falta, portanto aguardaremos 

 

 

Já a rúcula, além de meio possuída pela junça, está também meio picada. Não sei se serão caracóis, se o sol, se água a mais ou falta dela... O que é facto é que depois da surpresa do ritmo de crescimento dos primeiros dias, estagnou, e não sei muito bem o que dali sairá

 

 

A cenoura, começou com enorme agoiro: não pega, nem lhe vais ver a rama, não é sítio para cenouras, blá blá blá:

 

 

 

Rama já tem, veremos o resto... E falta a referência aos novos habitantes: tomilho-limão e uns pés de tomate cherry que chegaram quase sem raiz. Segue-se com atenção os seus passos, com esperança de que peguem, pois que há gente cá em casa bastante apreciadora de tais iguarias...

 

publicado por Menina da Cidade às 19:36
Hoje é dia de:

Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

Hoje é o dia dela:

 

 

Vai daí, pensei que não podia haver melhor dia para lançar o meu novo Blog... É coisa que ando para fazer há uns dias, e tenho vindo a adiar... mas de hoje não passa! Tenho dito!

 

Pois que este blog nasce de uma ideia que tive há dias, quando os meus neurónios borbulhavam como se não houvesse amanhã. Contentinha que estava com os meus novos projectos e ideias, feliz da vida que estava com a minha mais recente obra... apeteceu-me partilhá-la... partilhá-la e registá-la... acompanhar os seus progressos, sucessos e insucessos... sim, que a malta é inexperiente e é com a prática que se conta aprender.

 

Ora, se calhar está na hora de explicar melhor: na entrada do meu prédio existe um canteiro... Mas não é um canteiro qualquer que CANTEIROS HÁ MUITOS!!! O meu canteiro é um canteiro especial!!! Tem uns 15 a 20 m2, não mais! E estava pejado de ervas... bonitas umas, carracentas outras, mal-cheirosas outras... enfim, era um sem fim de vida selvagem desordenada e desacompanhada... Vai daí, aqui a menina da cidade começou a olhar para o canteiro pelo canto do olho e começaram os neurónios a fervilhar... Tomada a decisão de colocar ali alguma ordem, houve necessidade de recorrer a quem fosse menos ignorante que eu em relação a estas coisas. Compradas as sementes e afins, arrancaram-se as ervas todas, a enxada deu a volta a toda a terra existente e, na medida do possível, deu-se conta das ervas e ervinhas, raízes e raizinhas que por lá habitavam...

 

O planeamento era o que se segue:

 

publicado por Menina da Cidade às 19:23
Hoje é dia de:


Mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Arquivos
links